É um estudo fascinante! Boa Leitura! ENCONTRE seu assunto preferido em " MARCADORES" na lateral dir

É um estudo fascinante! Boa Leitura! ENCONTRE seu assunto preferido em " MARCADORES" na lateral dir
Informações: helofontoura@hotmail.com

sábado, 19 de junho de 2010

26 - OS MINERAIS -sua importância e para que servem - Omega 3

Os sais minerais são muito importantes como já colocado em doenças crônicas e no tópico pH. Nota-se que quando o sangue está ácido ele não utiliza os nutrientes de forma devida. Um exemplo, por exame, é as células por consequencia desse desequilíbrio ficarem aglomeradas.

 Microscopia do Campo Escuro - um dos exames que comprovam  a importância do uso do GFU - Prevenindo - Equilibrando e Revitalizando










Sabemos que hoje a alimentação por mais cuidadosa não está livre das toxidades e agrotóxicos.

Muitas são as indicações de sementes, frutas secas, entre outras. Mas não podemos esquecer dos fungos que acompanham esses alimento. É só pensar no transporte deles. Na estocagem...aqueles que tiveram a oportunidade de conhecer a estocagem do milho podem nos falar sobre.E lembrando que muitas dessas indicações chegam a nós por navios....

Não coloco isso para ser uma chata que fala que está tudo sujo e contaminado. Apenas penso que o conhecimento nos leva a soluções que tornam realmente verdadeiro o uso de alguns produtos. Tem alguns bem caros, inclusive, e que ao invés de fazer bem podem intoxicar. E é só colocar no forno, numa frigideira, até no microondas ( não curto muito mas parece que elimina os fungos) . Vale refletir ...

Sais Minerais
Os sais minerais são os mais potentes modificadores do pH dos nossos líquidos corporais, funcionando como instrumentos de manutenção da saúde celular, alcalinizando ou acidificando, conforme a necessidade do organismo. Cálcio, zinco, ferro, magnésio, sódio, potássio e manganês são fortes alcalinizantes e atuam como elementos energizantes e neutralizadores.

Fósforo, enxofre, cloro, iodo, bromo, flúor, cobre e sílica são poderosos agentes acidificantes. Todos eles são necessários à saúde humana, mas precisam estar em equilíbrio para que o pH resultante seja, como vimos, levemente alcalino.


Ainda pesquisando....gostaria de fazer uma tabela com as doenças envolvidas na falta dos minerais, pois pelos estudos é muito falado na importancia dos minerais. Para facilitar e objetivar quero colocar por doenças. Por exemplo Diabetes: cromo, zinco, vanádio e explicar o que eles fazem...

Os sais minerais desempenham funções vitais em nosso corpo como manter o equilíbrio de fluidos, controlar a contração muscular, carregar oxigênio para a musculatura e regular o metabolismo energético.

Embora presentes na dieta, alguns minerais nem sempre estão nas quantidades suficientes para satisfazer as necessidades metabólicas, especialmente durante a fase de crescimento, estresse, trauma, perda de sangue e algumas doenças. (pH baixo e corpo usando os minerais)

Hoje a OMS (Organização Mundial de Saúde) reconhece o papel de 18 minerais como Zinco, Cálcio, Ferro, Magnésio, Fósforo, Selênio e outros, como fundamentais para o bom funcionamento do nosso corpo.Quando falta um elemento apenas , o corpo se desequilibra e deixa de funcionar corretamente. Os primeiros sintomas podem aparecer na forma de fadiga crônica, predisposição para as dores de cabeça, insônia, perturbações digestivas, irritabilidade, o desenvolvimento constante de viroses e infecções, depressão, ansiedade, e até mesmo uma síndrome do pânico. 

Interessante como mesmo fazendo as pesquisas em separado, tudo se encaixa - parece tão complexo e ao mesmo tempo podemos perceber a simplicidade de tudo...O corpo é perfeito, apenas necessitamos conhecê-lo melhor para aproveitarmos tanta perfeição. 

Escrevendo me veio uma imagem de um avião...entramos e olhamos seu painel, vemos e percebemos que existe um estudo e cada luzinha, número tem uma função - mas não temos conhecimento para usar esse painel. Com o conhecimento tudo fica bem mais fácil.

Sabemos que a dopamina quando está presente no cérebro em quantidade equilibrada, temos a sensação de bem estar e prazer, isso pode ser estimulado com a reposição do Ferro, Magnésio e Cobalto. Aquela vontade louca de comer doces também está associada a deficiência de dopamina.

Os minerais também são antioxidantes, são as defesas naturais do nosso organismo contra os efeitos degenerativos dos radicais livres, que causam todo o tipo de lesões celulares e o envelhecimento.


Cálcio
Atua na formação de tecidos, ossos e dentes; age na coagulação do sangue e na oxigenação dos tecidos; combate as infecções e mantém o equilíbrio de ferro no organismo. O cálcio também é necessário para o funcionamento adequado do sistema nervoso e imunológico, contração muscular,  e pressão arterial.

As necessidades de cálcio são geralmente supridas por laticínios, especialmente leite. Dra Hulda aconselha a ferver o leite e a comer queijos sempre esquentando antes.A maior parte do cálcio (90%) é armazenada nos ossos, com uma troca constante ocorrendo com o sangue, tecidos e ossos.

Falta: Deformações ósseas; enfraquecimento dos dentes
Câimbras, unhas finas e quebradiças, podem apontar para uma carência de Cálcio, é esse mineral que permite que os músculos se contraiam e que o coração bata, há muitos grupos de risco em deficiência de cálcio principalmente os idosos e as mulheres, o ossos vão descalcificando e se tornando porosos , frágeis e quebradiços causando a osteoporose.
Podemos dizer que o Cálcio é o tranqüilizante da natureza, sem esse mineral ficamos irritados, nervosos, briguentos.Por isso algumas mulheres sofrem tanto com a TPM, por que há uma redução de Cálcio no sangue. Os hormônios adrenalina e noradrenalina não podem ser liberados sem o Cálcio.
Principais fontes: Laticínios : leite iogurte ( de preferência à coalhada caseira feita com lactobacilos)e queijos; peixes ósseos, legumes, brócolis, repolho, nozes, uva, cereais integrais, nabo, couve, chicória, feijão, lentilha,amendoim, castanha de cajú.(lembrar de retirar fungos da sementes e frutas secas). No globo repórter saiu uma reportagem sobre uso de agrotóxicos clandestinos, acredito que acessando a Net vc. consiga assistir, eles aconselhavam deixar as verduras, legumes, futas e raizes em água com bicarbonato de sódio por 30 minutos.


Cobalto
Age junto com a vitamina B12, estimulando o crescimento e combatendo as afecções cutâneas
Está contido na vitamina B12 e no tomate


Fósforo
Atua na formação de ossos e dentes; indispensável para o sistema nervoso e o sistema muscular. Tem um papel importante na produção de energia juntamente com o cálcio. A energia química do corpo é armazenada em combinações de "fosfato de alta energia".
Junto com o cálcio e a vitamina D, combate o raquitismo
Falta: Maior probabilidade de ocorrência de fraturas; músculos atrofiados; alterações nervosas; raquitismo
Carnes, miúdos, aves, peixes, ovo, leguminosas, queijo, cereais integrais


Ferro
Indispensável na formação do sangue; atua como veiculador do oxigênio para todo o organismo. É um componente fundamental da hemoglobina e de algumas enzimas do sistema respiratório. A deficiência deste mineral resulta em anemia


Importante saber que sem a vitamina C, a quantidade de ferro obtida pela ingestão de vegetais é irrisória. O feijão, por exemplo, é rico em ferro. Porém, nosso organismo só consegue absorver apenas cerca de 10% desse mineral contido no cereal. No entanto, se o feijão for acompanhado de um alimento rico em vitamina C como suco de laranja a absorção pode chegar a 40%. Isso me faz lembrar que era comum se ver o cozimento do feijão com pedaços de limão ....


As carnes são diferentes, pois estão entre as melhores fontes de ferro e, nesse caso, as moléculas do mineral não precisam da ajuda da vitamina. As melhores fontes de ferro são a carne bovina, porco e frango.

A deficiência de ferro é comum, principalmente em mulheres pela perda durante pela menstruação. Liz Applegate da Runnersworld.com também lembra que corredores devem estar atentos para a ingestão de ferro, uma vez que, além de perderam este mineral pela urina e transpiração, a própria corrida pode atrapalhar a habilidade de absorção de ferro.

Palidez, falta de ar, cansaço, são sintomas de deficiência de Ferro, ele é um componente das moléculas de hemoglobina, a anemia é uma carência desse mineral, as mulheres perdem o dobro de Ferro que os homens. Hoje muito se fala da síndrome da perna irriquieta , dores principalmente a noite que podem ser tratadas com a reposição desse mineral.
Principais fontes: Carnes, porco, frango, peixe, ovos, legumes.Fígado, rim, coração, gema de ovo, leguminosas, verduras, nozes, frutas secas, azeitona.


 Iodo
Faz funcionar a glândula tireóide; ativa o funcionamento cerebral; permite que os músculos armazenem oxigênio e evita que a gordura se deposite nos tecidos.
 Falta: Bócio; obesidade, cansaço
Agrião, alcachofra, alface, alho, cebola, cenoura, ervilha, aspargo, rabanete, tomate, peixes, frutos do mar vegetais


Cloro
Constitui os sucos gástricos e pancreáticos
É difícil haver carência e cloro, pois existe em quase todos os vegetais; o excesso de cloro destrói a vitamina E e reduz a produção de iodo


Potássio
Atua associado ao sódio, regularizando as batidas do coração e o sistema muscular; contribui para a formação as células
Falta:Diminuição da atividade muscular, inclusive a do coração
Azeitona verde, ameixa seca, ervilha, figo, lentilha, espinafre, banana, laranja, tomate, carnes, vinagre de maçã, arroz integral


Potássio
Este mineral é um eletrólito importante para a transmissão nervosa, contração muscular e equilíbrio de fluidos no organismo. Sintomas de deficiência de potássio incluem fraqueza muscular, desorientação e fadiga.


Principais fontes: Vários alimentos frescos como: carne, leite, frutas, legumes, batatas
e alimentos de grãos integrais.




Magnésio
Atua na formação dos tecidos, ossos e dentes; ajuda a metabolizar os carboidratos; controla a excitabilidade neuromuscular
Provoca extrema sensibilidade ao frio e ao calor
Frutas cítricas, leguminosas, gema de ovo, salsinha, agrião, espinafre, cebola, tomate, mel
Magnésio


Pesquisas revelaram que o magnésio tem um papel fundamental na performance em esportes de resistência. Este mineral existe principalmente nos músculos e ossos, aonde ajuda na contração muscular e metabolismo energético.


Estudos mostraram que a deficiência de magnésio diminui a resistência e que o baixo nível deste mineral na circulação está associado à diminuição da capacidade aeróbica. Infelizmente, baixo nível de magnésio na circulação já foi constatado em corredores após a maratona e provavelmente está relacionado à perda pela transpiração.


Apesar da falta de magnésio resultar em queda de resistência, altas doses deste mineral não significa um aumento da capacidade aeróbica.


Insônia, problemas de pressão arterial, palpitações, quebras de energia, diabetes, dores menstruais, fibromialgia, colesterol , todas essas queixas podem estar relacionadas com a carência de Magnésio no organismo, ele é um mineral absolutamente essencial para todos os processos bioquímicos do nosso corpo . O Stress assim como um grande consumo de cafeína roubam o magnésio do nosso organismo.
Principais fontes: Legumes, nozes, verduras, alimentos de grãos integrais, frutos do mar.


Manganês
Importante para o crescimento; intervém no aproveitamento do cálcio, fósforo e vitamina B1


Cereais integrais, amendoim, nozes, feijão, arroz integral, banana, alface, beterraba, milho


Silício
Age na formação dos vasos e artérias e é responsável pela sua elasticidade; atua na formação da pele, das membranas, das unhas e dos cabelos; combate as doenças da pele e o raquitismo


Amora, aveia, escarola, alface, abóbora, azeitona, cebola


Flúor
Forma ossos e dentes; previne dilatação das veias, cálculos da vesícula e paralisia
A necessidade de flúor é muito pequena; ele é recomendado apenas para gestantes para crianças durante a formação da segunda dentição
Agrião, alho, aveia, brócolis, beterraba, cebola, couve-flor, maçã, trigo integral


Cobre
Age na formação da hemoglobina (pigmento vermelho do sangue)


Centeio, lentilha, figo eco, banana, damasco, passas, ameixa, batata, espinafre


Sódio
Impede o endurecimento do cálcio e do magnésio, o que pode formar cálculos biliares ou nefríticos; previne a coagulação sangüínea
Cãibras e retardamento na cicatrização de feridas
Todos os vegetais (principalmente salsão, cenoura, agrião e cebolinha verde), queijo, nozes, aveia


Enxofre
Facilita a digestão; é desinfetante e participa do metabolismo das proteínas


Nozes, alho, cebola, batata, rabanete, repolho, couve-flor, agrião, laranja, abacaxi


Zinco
Atua no controle cerebral dos músculos; ajuda na respiração dos tecidos; participa no metabolismo das proteínas e carboidratos
Diminui a produção de hormônios masculinos e favorece o diabete
Carnes, fígado, peixe, ovo, leguminosas, nozes
Zinco


Zinco ajuda a manter o sistema imunológico sadio, facilita a cicatrização de machucados e recuperação de lesões. Liz Applegate salienta que estudos demonstraram que corredores freqüentemente não consumem a quantidade mínima recomendada deste mineral (RDA : 15 mg para homens e 12 mg para mulheres). Além disso, como atletas perdem zinco pelo suor, eles podem se tornar deficientes deste mineral mais rapidamente. Um dos sinais de deficiência de zinco é o aumento de resfriados.


Principais fontes: Alimentos ricos em proteína como carnes, frango e peixe.
Manchas brancas nas unhas, gripes freqüentes, acne, odor corporal, micose, dificuldade na cicatrização de feridas, atraso no crescimento, crises constantes de herpes , tudo isso pode apontar uma deficiência de Zinco que é o protetor do sistema imunológico


Selênio


É antioxidante e é importante no crescimento celular. A ingestão de altas doses, 1 mg ou mais, pode causar intoxicação.


Principais fontes de selênio: Frutos do mar, carnes, grãos e sementes.


Sódio


Este mineral é um eletrólito importante para a transmissão nervosa, contração muscular e equilíbrio de fluidos no organismo. Corredores participando de corridas longas devem prestar atenção na reposição de sódio para evita a hiponatremia. Muito sódio na dieta pode levar à hipertensão em pessoas com predisposição genética.


Principais fontes: Sal, azeite e alimentos processados.


Fonte: Enciclopédia Conhecer 2000, Nova Cultural, 1995


http://www.copacabanarunners.net/mineral.html


Adriana Splendore


Temos ainda o Vanádio.

Ômega 3 alivia sintomas da artrite reumatóide
O óleo de peixe diminui a dor, o inchaço eo enrijecimento das articulações

Recentes pesquisas têm demonstrado que o ômega 3, por meio de consumo de peixes ou complemento nutricional, pode ser um excelente aliado em tratamentos de artrite reumatóide, uma doença crônica de causa desconhecida que tem como sintoma principal a inflamação articular.

Especialistas explicam que essa ação do ômega em benefício à artrite reumatóide ocorre devido à atividade antiinflamatória promovida pelos ácidos graxos essenciais poliinsaturados, substâncias presentes no óleo de peixe ou ômega 3. "É uma espécie de ácido graxo do bem", explica a farmacêutica especialista em nutrição, Cristiane Fahl. "Falando de uma forma simplificada, alguns ácidos graxos "ruins" iniciam o processo inflamatório. O ômega 3 possui ácidos graxos essenciais poliinsaturados "bons" que por competição entram no lugar do ácido graxo ruim no processo inflamatório, deslocando a cascata da inflamação. É uma ação antiinflamatória gradativa e que começa a ser percebida após dois meses consumo contínuo, no mínimo", comenta.

Essa propriedade tem sido vista com bons olhos pelos nutricionistas e médicos em geral, pois o tratamento de artrite reumatóide é realizado com antiinflamatórios comuns e com corticóide, que causa uma série de efeitos colaterais ao organismo. "Enquanto novos medicamentos estão sendo estudados e testados, a suplementação com ômega 3 tem sido usada como uma boa alternativa coadjuvante do tratamento da artrite reumatóide. Os estudos mostram melhora do quadro de dor, do enrijecimento articular e da inflamação, com diminuição inclusive da dose diária de outros antiinflamatórios associados ao tratamento. Por isso portadores de artrite de reumatóide devem consumir ao máximo peixes que contenham alto teor de ômega 3 (EPA e DHA), ou então tomar cápsulas contendo óleo de peixe, mas sempre seguindo a orientação médica ou nutricional", salienta a especialista.

Dicas para um melhor aproveitamento da suplementação nutricional

Os nutricionistas são unânimes em afirmar que a melhor fonte para obtenção dos benefícios dos nutrientes é ter sempre uma boa alimentação. Porém, em alguns casos, é necessária a suplementação nutricional natural.

Para que essa ajuda complementar seja realmente eficiente, principalmente em casos como os de artrite reumatóide, não adianta tomar qualquer cápsula que diz conter ômega 3. Alguns atributos farmacotécnicos, como teor padronizado de ácidos graxos essenciais poliinsaturados (mín.18% EPA e mín.12% DHA) e controle de substâncias que podem oxidar o óleo são essenciais para que a suplementação seja efetiva e traga os benefícios esperados, tanto ao paciente como para o prescritor.

Por isso, é necessário seguir corretamente a orientação do nutricionista. Em termos mais específicos, a farmacêutica Cristiane Fahl aponta o teor padronizado de ácidos graxos poliinsaturados e a origem do peixe como características essenciais para uma suplementação eficaz de ômega 3.

"O teor de ácidos graxos precisa ser padronizado, o que indica que a cápsula realmente contém os ácidos graxos de ômega 3 na quantidade certa para que haja efeito. Além disso, a origem do peixe é muito importante. É fundamental que o óleo de peixe usado tenha sido extraído de peixes de águas frias e profundas, como é o caso do óleo contido nas cápsulas de ômega 3 da linha Galena Nutrition, extraído de peixes da Noruega. Os peixes que têm esse tipo de procedência possuem maior teor de ácido graxos poliinsaturados (EPA e DHA) e de melhor qualidade", explica.

O que é artrite reumatóide
A artrite reumatóide (AR) é uma doença inflamatória crônica que pode afetar várias articulações. A causa é desconhecida e acomete as mulheres duas vezes mais do que os homens.

Dados divulgados no último encontro anual do Colégio Americano de Reumatologia, realizado no final de outubro nos Estados Unidos, relatam que o número de casos de artrite reumatóide entre as mulheres aumentou na última década. Comparado à década anterior, quando aproximadamente 36 em cada 100 mil mulheres desenvolviam artrite reumatóide a cada ano, de 1995 a 2005 esse índice passou para 54 em cada 100 mil.

Os sintomas mais comuns são dor, edema, calor e rigidez. O diagnóstico precoce e o início imediato do tratamento são fundamentais para o controle da atividade da doença, prevenção da incapacidade funcional e lesão articular e o retorno ao estilo de vida normal do paciente o mais rapidamente possível.
http://yahoo.minhavida.com.br/conteudo/4017-Omega-3-alivia-sintomas-da-artrite-reumatoide.htm