É um estudo fascinante! Boa Leitura! ENCONTRE seu assunto preferido em " MARCADORES" na lateral dir

É um estudo fascinante! Boa Leitura! ENCONTRE seu assunto preferido em " MARCADORES" na lateral dir
Informações: helofontoura@hotmail.com

sábado, 19 de junho de 2010

20 - CÉREBRO - Parkinson - Alzheimer - Esclerose Multipla -ALIMENTOS -VITAMINAS - Proteja

VEJA A IMPORTÂNCIA DE ESTARMOS COM NOSSO PLASMA SEM TOXINAS COM O USO DO GFU
ABAIXO VÁRIOS ASSUNTOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vitamina D dá mais agilidade mental - O nutriente está associado à áreas do cérebro envolvida com funções cognitivas.

Proteja seu cérebro
Consumir suco de beterraba diariamente pode aumentar o fluxo de sangue no cérebro em pessoas na terceira idade, e assim proteger os indivíduos de desenvolver casos sérios de demência, diz um estudo feito pela Wake Forest University, nos Estados Unidos. Os autores da pesquisa dizem que esse pode ser um ótimo método para combater esta doença que atinge aproximadamente 35 milhões de pessoas no mundo.

No estudo, publicado no jornal especializado Oxide: Biology and Chemistry, os cientistas acrescentaram durante quatro dias, suco de beterraba, que é rico em nitratos, na dieta de 140 pessoas com mais de 70 anos e que sofriam com demência. Durante a pesquisa, os participantes recebiam refeições ricas em nitratos, que incluía um copo de aproximadamente meio litro de suco do vegetal. Depois de cada uma das refeições, os idosos passavam por exames de sangue e uma série de outros testes para medir o funcionamento do sistema circulatório.
Os autores da pesquisa descobriram que depois de ingerir uma dieta rica em nitratos, as pessoas na terceira idade tinham uma maior circulação de sangue no cérebro, o que facilita o transporte de oxigênio para os lóbulos frontais. Essa área está associada com a degeneração que leva a demência e a outros problemas cognitivos, e sua melhor oxigenação pode prevenir essas complicações e diminuir o ritmo de sua evolução.

Consumir altas concentrações de nitratos, contidos na beterraba, assim como no aipo, repolho, espinafre e alface, ajuda a dilatar os vasos sanguíneos e a aumentar o fluxo de sangue nos lugares que precisam de oxigênio. A beterraba se destaca porque além dilatar as artérias também combate a pressão alta e diminui o risco de derrames, complicações mais comuns na terceira idade.  
Proteja seu cérebro

Além dos nitratos contidos na beterraba, existe uma série de nutrientes que ajudam a proteger o cérebro. Segundo um estudo feito pelo Instituto Salk, na Califórnia (EUA), a fisetina que se encontra no morango, pêssego, uva, kiwi, tomate, maçã e também na cebola e espinafre é uma substância fundamental para manter a memória jovem, porque estimula a formação de novas conexões entre os neurônios. Alguns nutrientes, como a fisetina e os nitratos, são importantes para a manutenção da saúde do cérebro, como: 
-Zinco, Selênio, Ferro e Fósforo: sais minerais que participam de inúmeras trocas elétricas e mantêm o cérebro acordado e ativo (elétrico). Presente em todas as sementes e grãos, em raízes e nas folhas verde escuro, iogurtes.
-Vitamina E: poderosa ação antioxidante. Presente em todas as sementes e grãos, como também em óleos vegetais prensados a frio.
-Vitamina C: famosa ação antioxidante. Presente nas sementes frescas e cruas que foram pré-geminadas, assim como na maioria das frutas.
-Vitaminas do complexo B: regulam a transmissão de informações (as sinapses) entre os neurônios, presente nas sementes e nas fibras dos alimentos integrais e proteínas. 
- Bioflavonoides: são polifenois com forte ação antioxidante. Além das sementes, são encontrados também no limão, frutas cítricas, uva e nas folhas verde escuro.
-Colina: participa da construção da membrana de novas células cerebrais e na reparação daquelas já lesadas. Presente na gema do ovo e em todas as sementes e grãos (predominância na soja), como também em óleos vegetais prensados a frio.
-Ômega-3: funciona como um anti-inflamatório poderoso, evitando a morte dos neurônios. Existem somente três fontes: os peixes de águas frias e profundas e as sementes de linhaça e prímula.
-Carboidratos: a glicose é a energia exclusiva do cérebro. Por isso, ficar muito tempo sem comer carboidratos diminui a atividade mental. Carboidratos complexos (pão, batata, grãos) são absorvidos mais lentamente, fornecendo energia de forma regular. Já o açúcar dos doces é absorvido tão rapidamente que é armazenado como gordura, sem fornecer energia de modo constante.  
http://yahoo.minhavida.com.br/conteudo/12280-Beber-suco-de-beterraba-ajuda-a-proteger-o-cerebro.htm

Pesquisadores do Agricultural Research Service (ARS) dos Estados Unidos encontraram ligação entre a vitamina D e a função cognitiva. O estudo, que foi apoiado pelo National Institutes of Health e liderado pelo epidemiologista Katherine Tucker, envolveu mais de 1.000 idosos que recebiam cuidado médicos em casa. Os pesquisadores avaliaram a associação entre níveis de vitamina D no sangue e testes neuropsicológicos. Idosos que recebem cuidados em casa têm um maior risco de não absorver vitamina D suficiente devido à exposição solar limitada e outros fatores.

A luz solar é importante para sintetizar a vitamina. A função cognitiva é medida pelo nível em que o cérebro é capaz de gerenciar e utilizar informações disponíveis para as atividades da vida diária. A doença de Alzheimer, a forma mais comum de demência relacionada à idade, afeta cerca de 47% adultos com 85 anos ou mais nos Estados Unidos. Por isso é fundamental Identificar os fatores nutricionais que diminuem a disfunção cognitiva e ajudar a preservar a vida independente, pois isso proporciona benefícios econômicos e de saúde pública, de acordo com os autores.

A absorção metabólica da vitamina D foi encontrada no hipocampo e no cerebelo - áreas do cérebro envolvidas nas funções de planejamento, processamento e formação de novas memórias. Isso sugere que a vitamina D pode estar envolvida nos processos cognitivos.  

Os participantes, com idades de 65 a 99 anos, foram agrupados pela quantidade de vitamina D, que foi classificada como deficiente, insuficiente ou suficiente. Apenas 35% tinham níveis suficientes de vitamina D no sangue. Eles tiveram um melhor desempenho nos testes cognitivos em comparação com os das categorias deficiente e insuficiente, em particular as medidas de "desempenho executivo", como a flexibilidade cognitiva, a complexidade da percepção e raciocínio.

As associações persistiram após tomar em consideração outras variáveis que podem afetar o desempenho cognitivo. Outro estudo, feito por pesquisadores americanos, relacionou o Mal de Parkinson com a deficiência de vitamina D. A pesquisa publicada na revista especializada Archives of Neurology, porém, não concluiu se os baixos níveis da vitamina são a causa ou a consequência da doença.

Os estudiosos da Universidade Emory examinaram os níveis de vitamina D em 100 pessoas com Parkinson, 100 com Mal de Alzheimer e 100 idosos saudáveis. Os resultados apontaram que 55% dos pacientes com Parkinson apresentavam níveis insuficientes da vitamina, em comparação com 41% dos indivíduos que sofrem de Alzheimer e 36% dos idosos saudáveis. "A vitamina D pode ser encontrada no leite, no salmão, sardinha, óleo de fígado de peixe, cogumelo, ovos e alguns cereais que são fortificados com essa vitamina", explica a nutricionista Cristiane Mara Cedro.


Um estudo realizado pelo Salk Institute for Biological Studies, na Califórnia, constatou que a fisetina, flavonoide presente nas frutas vermelhas, em especial no morango, estimula área do cérebro responsável pela memória de longo prazo e o protege de doenças degenerativas como o Mal de Alzheimer e a esclerose múltipla.

Segundo os pesquisadores, a fisetina induz a maturação das células neurais, evitando que elas morram e auxiliando a fixação de novas conexões entre elas. Com isso, a atividade cerebral não é afetada pela morte natural de células nervosas e a memória é estimulada com maior eficiência.


Melhorando a Função Cerebral

 
Chuck Homuth

A medida que envelhecemos muitos de nós percebemos uma perda de capacidade mental e achamos que isso é devido em parte a estar ficando velhos, mas o envelhecimento não pode explicar a atual epidemia de severa deterioração mental. O fato é que o cérebro humano é altamente suscetível em viver em uma sociedade moderna desenvolvida. Um estilo de vida deficiente, bem como dieta, stress, fumaça e poluentes ambientais, tudo isso danifica as células frágeis do cérebro. O consumo de álcool e muitos medicamentos podem causar severa perda de memória. Cada vez mais crianças estão mostrando dificuldades comportamentais e de aprendizagem relacionadas à exposições por poluentes e tais dificuldades persistem na vida adulta.
 
Pessoas que abusam do seus corpos através de uma  dieta e de estilo de vida inadequados podem experimentar uma deterioração mental já na década dos trinta, e por muitos outros problemas, se tornam realmente notáveis durante a década dos quarenta. Essas pessoas que fazem coisas erradas em determinados períodos da vida, estão em risco aumentado de severa deterioração cognitiva no futuro, a  menos que elas assumam o compromisso de reconstruir a função cerebral. VEJA MAIS UMA VEZ A IMPORTÂNCIA DO USO DO GFU
 
O Cérebro e uma Dieta Saudável
O cérebro usa 20% da energia do corpo ele requer constante oxigênio que recebe da corrente sangüínea, e usa aproximadamente 25% do oxigênio inalado. A fisiologia cerebral é altamente complexa e tem o poder de influenciar tudo que nós fazemos.  Vale lembrar ...somos um todo. O sangue circula por todo o nosso corpo e um sangue acidificado e sem oxigênio circula pelo cérebro. O GFU tem como uma das suas funções a alcalização e oxigenação do sangue LUZ e PAZ Helô
 
As unidades celulares fundamentais do cérebro são chamadas neurônios. Neurônios possuem receptores que captam mensagens dos neurotransmissores, químicos no cérebro que viajam entre as células. 

Esses neurotransmissores são capazes de se ligarem a neurônios receptores e criarem atividades cerebrais especificas. 

O processo é complexo e a boa condição da proteína e membranas celulares baseadas em lipídios no cérebro é essencial para seu sucesso.
 
Mudanças nas membranas celulares ocorrem de momento a momento e são unicamente afetadas pelos fatores tais como emoções, dieta e o sistema imune. Mesmo as menores alterações nesta membrana celular especializada podem ter conseqüências nas habilidades dos neurotransmissores e produzir os efeitos desejados e podem causar doença. Serotonina, dopamina e norepinefrina são os neurotransmissores conhecidos mais comuns.
 
O excesso ou a falta de  neurotransmissores pode resultar em condições tais como depressão, ansiedade ou hiperatividade e podem contribuir para doenças do cérebro tais como ou  Altheimer ou doença de Parkinson.
 
Uma dieta saudável que atende as necessidades especificas do cérebro pode ajudar neurônios alcançar um equilíbrio químico satisfatório.
 
O cérebro depende do fígado e trato gastrointestinal saudáveis para usar bem o alimento, para absorver nutrientes apropriadamente e liberá-los ao cérebro, para remover toxinas e manter a atividade apropriada do sistema imune.
 
As células nervosas são amplamente compostas de lipídios e por isso os tipos corretos de gordura na dieta são um dos elementos críticos mais importantes na criação e manutenção da saúde cerebral.
 
O Omega 3, um precioso ácido lipídio que promove a saúde cardíaca, pode ajudar nosso cérebro. Os recursos primários dessas gorduras promotoras de saúde são peixes de água doce incluindo salmão, anchovas, sardinhas e outros peixes. É recomendável comer peixe no mínimo três vezes por semana.
 
Óleo de oliva e óleo de semente de linho, são bons recursos de plantas de ácidos graxos omega 3.
 
O DHA, um dos ácido graxos Omega 3, é primariamente um ácido graxo estrutural na matéria cinzenta do cérebro que promove comunicação entre as células nervosas por permitir sinapses para mantê-las leves e funcionais. Por ajudar a construir as bainhas de mielina ao redor das fibras nervosas, o DHA facilita a neurotransmissão química.Ele ajuda o cérebro a monitorar o humor bem como a memória.
 
Como um componente do leite humano, o DHA promove inteligência aumentada nas crianças.
 
As vitaminas do complexo B trabalham em conjunto para promover o sistema imune e o cérebro saudável por proteger tecidos nervosos contra a oxidação, aumento da memória e por isolar as células nervosas. O seu corpo requer vitamina B para produzir muitos neurotransmissores. Além de carne existem muitos recursos, origem de vegetais de vitamina B incluindo pasta de grãos, arroz, germe de trigo feijão e castanha.
 
Em razão do cérebro ser feito amplamente de ácido graxos, ele é suscetível dano por oxidação causado pelos radicais livres, moléculas altamente reativas que atacam e danificam as membranas celulares, proteínas e mesmo o código genético, e assim trazendo também envelhecimento e doenças.
 
Antioxidantes são nutrientes que combatem e neutraliza os radicais livres. As armas primarias desta luta são as vitaminas C e E, carotenoide e o selênio mineral.
 
Muitos alimentos são fontes ricas de antioxidantes. Os carotenoides são encontrados na laranja e vegetais folhosos tais como cenoura, batata doce, couve e espinafre. A vitamina C é encontrada nas frutas cítricas e vegetais como brócolis e pimenta. A vitamina E é encontrada em sementes e castanhas, bem como o feijão e óleos vegetais, o selênio está presente em frutos do mar grãos e castanhas do Pará.
 
Suplementação ou reforçamento de antioxidantes são recomendados desde que sejam o sistema de defesa do corpo, o que acredita-se que eles se desviem virtualmente das doenças crônicas incluindo doenças do coração, câncer, catarata, doença de parkinson, e processo de envelhecimento.
 
Permanecendo Saudável
Todos nos queremos um cérebro que seja saudável quando nós estivermos mais velhos, mas nos queremos também um cérebro que funcione em alta velocidade e eficientemente hoje.
 
O café da manhã é a mais importante refeição do dia. Comece o dia com uma refeição que é baixa em gordura, alta em proteína e baixa em carboidratos e açúcar. Isso ajudará você a alcançar a performance do pico mental durante o dia. Primeiro coma proteina, e então complexos carboidratos, em sua refeição.

O ideal é ter o aminoacidos L-Tirosina encontrados em alimentos ricos em proteínas que alcançam primeiro o cérebro, seguido pelo L- triptofano e aminoácidos cujos efeitos relaxantes são fortalecidos pelos carboidratos.
 
A cafeína pode melhorar o alerta mental, mas limite seu uso para prevenir adição, ela pode deixar você com sintomas de retiradas desprazerosos tais como estresse, ansiedade e irritabilidade, e pode ser danosa para a saúde em geral. O álcool diminui a função cerebral e deve ser evitado se alta performance ou concentração e requerida.
 
Um estilo de vida que inclui amplo tempo de relaxamento, meditação, exercício apropriado e bom sono, tudo isso ajuda a regenerar e revigorar nosso estado mental, em suma a forma que nós comemos pode não somente nos ajudar a sermos mais inteligentes, alertas e com sucesso em nossas atividades mentais, mas também mais equilibrados em nossas emoções e comportamento.
 
A forma para construir um fundamento para um cérebro saudável é com uma dieta saudável e uma suplementação.
 
Fosfatidilserina - uma substância fosfolipidica que é um grande construtor das membranas cerebrais prove energia e atividade elétrica  através de todo o cérebro.
Fosfatidilcolina - encontrada nos produtos da soja e lefitina. Converte prontamente para acetilcolina, o neurotransmissor da memória no cérebro.
L-Glutamina - usada como fonte de energia pelo cérebro e é convertida em ácido glutâmico. Essencial para a função do cérebro e GABA, um importante neurotransmissor.
Acetil L-Camitina - essencial para converter ácidos graxos em energia metabólica, capaz de atravessar prontamente a barreira hematoencefalica onde ela promove a síntese de acetilcolina.
Hiperzina A (club moss) - funciona como um inibidor da colinesterase que previne a quebra da acetilcolina.
Vinpocetina (periwinkle) - aumenta o metabolismo do cérebro por aumentar o fluxo sanguíneo aumenta a taxa na qual as células nervosas produzem ATP (energia) e aumenta a velocidade do uso da glicose e oxigênio no cérebro.
Co Q10 - exibe um papel critico na produção de energia em cada célula do corpo. Aumenta a oxigenação dos  tecidos
Ginko biloba - erva que aumenta o fluxo sanguíneo e oxigênio ao cérebro
Gotu cola - erva que energiza o cérebro e aumenta o estado de alerta (grande repositor para os que bebem muito café).
O autor
Chuck Homuth
http://www.cerebromente.org.br/

A Viagem ao Cérebro explica o funcionamento do cérebro e como a doença de Alzheimer o afeta.
Como fazer a viagem: Há 16 slides interativos. Muito bem explicado

Para destacar os recursos especiais de cada imagem, passe o mouse por cima delas.
Em seguida, clique na seta para avançar ao próximo slide.
http://www.alz.org/brain_portuguese/

 
Vamos exercitar o cérebro?
http://www.chezmaya.com/jeux/game33.htm

Legalmente é obrigatória essa declaração abaixo:

As informações, sugestões e idéias apresentadas neste documento são apenas para informação e não devem ser interpretadas como conselhos médicos, diagnóstico de doenças, ou para efeitos de prescrição. Os leitores devem consultar seu médico antes de iniciar qualquer programa de tratamento alternativo. As informações contidas neste documento não devem ser usadas para substituir os serviços ou as instruções de um médico ou profissional de saúde qualificado.
Este produto não é destinado a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença, dor, ferimentos, deformidade ou condição física ou mental. Consulte sempre seu médico.